quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Breve (ou não) relato do que foi 2015

Alívio. No momento, é a única palavra que me vem a mente para descrever o que estou sentindo. Esse texto com certeza será um daqueles gigantescos, pois há muito o que contar, nem sei por onde começar. Escrever é única forma de descarregar todo e qualquer sentimento que carrego aqui dentro. Que comece a retrospectiva 2015.

2015 foi mais um ano do qual eu não sei direito o que pensar/falar/escrever. Minha pouca (às vezes muita) idade me impossibilita de lembrar de todos os acontecimentos. Lembro do sentimento que tinha no final de 2014 sobre o que seria 2015: um ano difícil por causa do final da faculdade, mas que prometia muitas surpresas. 2015 seria um ano de conclusões, definições e realizações. De fato foi.

Divido meu ano sempre em semestre (influência da vida escolar): o primeiro sempre (ou quase sempre) tende a ser aquele bolo de chocolate que você acha uma delícia no início, mas aí encontra uma cereja e perde a graça. Esse ano foi da mesma forma, houve mudança de departamento no hotel, o que me trouxe muitas experiências mas muitos desafios também, forçando a Raúla ser alguém melhor, lutando contra si mesma. 

Houve muito trabalho, relatórios e mais relatórios, mas teve também muita parceria e gente de coração e alma leves. Aconteceu o cursinho e com ele muita gente bonita, transmitindo conhecimento e me dando forças pra insistir. Teve o Rô sempre ao meu lado, ora puxando a minha orelha, mas sempre me apoiando (o que nem sempre significa concordar com as minhas palhaçadas). Sei que é difícil conviver com um ser tão complicado como eu, mas não desista! Tenha certeza que o amor é recíproco e eu aprendo cada dia mais com você.
Alguns momentos de loucura ali no meio do ano, vontade de desistir e muito drama. Por isso digo que quando se tem uma mão para apertar, o caminho torna-se mais fácil, mas é preciso saber o que fazer, pra que essa mão não se canse e queira se soltar.

O segundo semestre, que sempre é o meu preferido, prometia fortes emoções este ano. Trato o segundo semestre como um presente surpresa, todo bonito e que me deixa ansiosa para saber como será (geralmente é bom).
O meu lema para momentos de tensão e preocupação com o que está por vir é: passa. Fica tranquilo que vem, mas passa, seja o que for.

Havia o TCC, tão temido, as provas de Matemática Financeira, mas também as aulas de Psicologia que me fizeram muito bem, onde eu podia falar, falar e falar, além de levar comigo muitos ensinamentos.

E passou.

Hoje é dia 29 de Dezembro e todas as preocupações e ansiedades de 2015, até então, passaram. Sobrou uma Raúla em frangalhos, talvez. Um joelho ralado, um remendo aqui e ali, mas trouxe uma Raúla melhor, com dramas e medos (muitos), mas ainda mais sonhadora e esperançosa.

O que eu espero de 2016? Mais amor, confiança, bom humor, sorrisos e pessoas leves. Que seja bonito para todos nós, que sejamos ainda mais fortes, que sonhos se realizem e o bem prevaleça. Não farei promessas, mas espero ler mais e escrever muito mais.

beijos de luz!

Um comentário:

  1. Comecei esse ano conhecendo você pessoalmente e levando muita coisa da nossa conversa para os meus dias. 2015 foi desafiador mas, sem dúvida, nos mostrou mais uma vez que sempre somos mais forte do que pensamos. Estou orgulhosa de você, viu?

    Engraçado que eu sempre gosto mais do primeiro semestre rs

    Tudo de mais lindo em 2016, Ra!
    Um beijo, amo você!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...